Estudo em parceria com a USP busca a imunização e o desenvolvimento de anticorpos contra o novo coronavírus; unidade também estuda outras doenças

Matéria/Colaboração: ACidadeOn

Pesquisadores da Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz), em parceria com a USP (Universidade de São Paulo) de Ribeirão Preto, atuam no desenvolvimento de vacinas contra a covid-19, doença causada pelo novo coronavírus.  

Todos os estudos feitos pela unidade são elaborados em duas frentes: prevenção (por meio de vacina) e anticorpos contra a doença.    

“Estamos analisando antígenos vacinais e também moleculares de anticorpos, que podem causar a neutralização do novo coronavírus, mas ainda em estudos iniciais”, explicou o diretor da unidade da Fiocruz em Ribeirão Preto, Rodrigo Stabeli, em matéria exibida neste sábado (13), pelo  telejornal EPTV 1.   

Além da covid-19, os cientistas também buscam desenvolver uma vacina contra a malária. A unidade, porém, possui estudos mais avançados na busca de anticorpos contra o zika vírus e chikungunya, doenças transmitidas pelo mosquito Aedes aegypti.  

“Já temos moléculas que estão dando resultados neutralizantes. Ou seja, poderão ajudar pessoas a passar por essas doenças [zika e chikungunya]”, disse Stabeli. (Com EPTV)

Pesquisas em Ribeirão Preto


Uma empresa que começou as atividades no Supera Parque, em Ribeirão Preto, também atua em pesquisas para desenvolver uma vacina contra o novo coronavirus. 
 

Segundo a Farmacore Biotecnologia, os testes em humanos poderão ocorrer até outubro deste ano. A meta, contudo, é que ela esteja desenvolvida e segura para o uso na população em geral no segundo semestre de 2021.