Fonte: Santa Casa de Franca

Equipes de Anestesia, Ginecologia e Obstetrícia, Pediatria e da UTI Infantil garantiram a integridade da mãe e do bebê.

Na tarde de quinta-feira, 11 de março, praticamente um ano após o início da pandemia no Brasil, aconteceu o primeiro parto de emergência de uma gestante paciente de COVID-19, na ala especializada do Grupo Santa Casa de Franca.

A paciente T.C.M.T., de 21 anos, encontrava-se internada desde o dia 10 de março na Ala COVID da instituição (localizada no Hospital do Coração) estando em sua primeira gravidez, com gestação de 34 semanas e 6 dias. Porém, o quadro da mesma não vinha apresentando melhora, mesmo com todas as medidas do tratamento. A equipe médica constatou que a gestação não estava colaborando para a recuperação da paciente, por vários motivos, entre eles por uma questão anatômica que dificultava a expansão da caixa torácica, prejudicando a ventilação. Ainda, associado a este fato, o quadro da paciente estava comprometendo a vitalidade do feto, o que levou a equipe à difícil decisão de indicar um parto emergencial por cesárea, no intuito de salvar a vida da mãe e de seu bebê.

Assim, as equipes de Anestesia, Ginecologia e Obstetrícia, Pediatria e da UTI Infantil realizaram o parto do bebê B., que nasceu às 15h18, pesando 2,290Kg e medindo 51 centímetros, necessitando de manobras de reanimação neonatal, também realizadas com êxito por estes profissionais altamente capacitados, que salvaram a vida da criança e da mãe. Logo após o nascimento, a equipe fez a coleta de material para realização de todos os tipos de exames de detecção da COVID-19, para garantir o acompanhamento e tratamento. No momento o bebê encontra-se internado em isolamento total na UTI Neonatal, ainda com um quadro geral agravado, em função de toda sua condição – e inspira cuidados – continuando a receber todo o suporte intensivo.

O presidente do Grupo Santa Casa, Tony Graciano, comentou: “Hoje o Grupo Santa Casa de Franca, como Hospital de Ensino, é uma referência em tratamento de COVID-19, inclusive sendo reconhecido pelo Governo do Estado e por outras instituições que têm buscado uma troca de conhecimentos com nossas equipes. Isto colabora para a tranquilidade e segurança de nossos profissionais ao enfrentarem estes novos desafios e buscar constante evolução no aprendizado e na colaboração entre instituições”, concluiu.