Matéria da CNN Brasil

Infectologista da Fiocruz Julio Croda explicou que nem todas essas cepas causam efetivamente um impacto epidemiológico

 

O infectologista e pesquisador da Fiocruz Julio Croda afirmou que mais de 92 variantes da Covid-19 foram identificadas no Brasil. Porém, ele explicou que nem todas essas cepas causam efetivamente um impacto epidemiológico.

“Geralmente o impacto acontece quando uma variante se torna prevalente”, disse Croda. 

“A questão é: uma delas vai se tornar predominante como se tornou em Manaus e outras cidades? Nesse caso, com certeza a cepa tem aspectos biológicos que trazem alguma vantagem.” 

Com isso, o pesquisador explicou que essa situação ainda não é a de Belo Horizonte, em que pesquisadores emitiram um alerta sobre uma possível nova variante. 

“Possui as mesmas mutações principais da P1, ainda não se tornou predominante”, disse.

Outro ponto abordado pelo infectologista foi a autorização da Anvisa do estudo de fase 3 de um imunizante desenvolvido pelos laboratórios Medicago R&D

Inc (Canadá) e GlaxoSmithKline (GSK – Reino Unido).

“Existe uma tendência de testar no Brasil, porque aqui há muita transmissão e muitos casos, então rapidamente você tem uma resposta sobre a proteção desses diversos imunizantes.”