Matéria do G1 Ribeirão

Foto: Polícia Civil/ Divulgação

Agentes detiveram suspeitos e apreenderam computador e celulares durante força-tarefa na manhã desta sexta-feira (9). Ordens judiciais foram cumpridas no âmbito da Operação ‘Black Dolphin’.

Agentes da Polícia Civil cumprem nesta sexta-feira (9) mandados de busca e apreensão domiciliar em Miguelópolis (SP) em uma operação de combate à exploração sexual infantil pela internet.

De acordo com as primeiras informações apuradas pela EPTV, afiliada da TV Globo, ao menos dois suspeitos foram detidos, além de terem sido apreendidos objetos como computador, celulares e pen-drive nas diligências realizadas durante a manhã.

Nenhuma prisão tinha sido confirmada até a última atualização desta reportagem.

As ordens de busca foram expedidas no âmbito da Operação “Black Dolphin”, que apura crimes cibernéticos desde 2018, pela Vara da Infância e Juventude de São José do Rio Preto (SP), onde foi preso, no ano passado, um técnico de informática de 43 anos apontado pelas autoridades como o chefe da organização criminosa.

Segundo a Polícia Civil, as diligências desta sexta-feira em Miguelópolis levaram as equipes a “provas robustas” para as investigações, que seguem sob sigilo.

O nome da força-tarefa faz alusão à Colônia 6, prisão russa conhecida como Black Dolphin. Ao zombarem das leis brasileiras, os criminosos investigados mencionaram o local como o único do mundo capaz de detê-los.

Localizada na fronteira com o Cazaquistão, a penitenciária é conhecida por abrigar presos condenados à prisão perpétua e pelo rigor no tratamento dos detentos.